Como irá funcionar MEGA, o sucessor de megaupload [história e detalhes]

mega sucesor megaupload

O que aconteceu com Megaupload

Megaupload era um serviço de armazenamento de arquivos na nuvem ao qual só se podia acessar através do navegador. Se tornou popular, pois além de não fazer restrições na hora de baixar arquivos, ao lado de uma série de outros serviços especializados como Megavideo e Megaporn, poderiam ser obtidos, ainda, lucros por baixar e compartilhar arquivos.

Assim, se tornou o sistema padrão na hora de baixar arquivos de todo tipo, desde arquivos empresariais e documentos pessoais, até obras protegidas por direitos autorais. No último (além de “lavagem de dinheiro e crime organizado”) é no que o FBI e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos -supostamente- se basearam para fechar os três sites, apreender os centralizados servidores com toda a informação dos usuários sem importar se infringia ou não direitos do autor, e, finalmente, prendê-lo em sua mansão na Nova Zelândia, o criador e CEO do Megaupload, até então, o milionário Kim Dotcom.

fbi megaupload

Megaupload contava com 150 milhões de usuários junto a 4% aproximadamente do tráfego total da rede mundial, o que obrigou outros sites a tomarem medidas de precaução como Rapidshare, Fileserve e Filesonic que viram que se o maior deles havia caído, seria melhor realizar ações para se protegerem para que não fossem os próximos a serem pegos pelas severas leis de controle de informação dos USA.

O nascimento do Mega contado via Twitter


Kim Dotcom é um milionário -extravagante-, e que claro, rapidinho pagou a multa para sair da prisão, decidiu trabalhar na solução a tal tremendo golpe tanto para ele como para todos os usuários que usavam de forma legal a Megaupload para hospedar seus arquivos e que até a data não tiveram seus arquivos devolvidos por parte do FBI.

Todo o processo foi comentado Dotcom desde sua conta do Twitter (@KimDotcom) como uma solução baseada em três novos pilares: Megakey, publicidade web alternativa; Megabox um serviço para compartilhar música que oferece 90% dos lucros aos artistas diferentemente de muitas gravadoras; e finalmente Mega, um serviço similar a Megaupload porém melhorado.

As funcionalidades esperadas

O panorama mudou em relação ao ano passado pois seu lugar em matéria de hospedagem de arquivos na nuvem foi tomado por grandes como Dropbox, Box e Google Drive. A parte “pirata” voltou aos clientes de torrents e sua clássica transferência via P2P. Com isso, a única forma de voltar a seu reinado será que apresente opções realmente inovadoras, e pelo mostrado até agora poderia se esperar:

funciones mega

Armazenamento: 50 Gb de espaço em sua versão gratuita e talvez ilimitada para contas premium.

Domínio: Se usará o domínio Mega.co.nz para proteger-se em boa parte da legislação dos USA.

Segurança: Contará com criptografia de arquivos de tal maneira que o usuário seja o único com a possibilidade de revisá-los, nem sequer os criadores do MEGA poderão revisá-los (mais proteção para eles). Se o usuário quiser baixá-los, poderá conseguir uma chave de decodificação.

Descentralizaão: MEGA agora funciona como uma rede P2P onde servidores em todo o mundo (exceto com domínio ou localização nos USA) hospedarão os arquivos criptografados, o que supõe que evitaria uma nova captura massiva de dados por parte do FBI.

Velocidade: Também, ao estar os servidores espalhados pelo mundo, a velocidade para carregar e baixar aumenta, tal qual a estabilidade do site.

Idiomas: O mais provável é que conte com suporte e interface em vários idiomas, tal qual o egaupload.

Resta esperar que venha também em forma de aplicativos móveis.

As imagens já divulgadas

Dotocom em seu perfil de Twitter compartilhou várias imagens de como será a interface de MEGA.

Seus spots de rádio

Porém, não ficará só nisso e decidiu investir em campanhas publicitárias de rádio transmitidas em Nova Zelândia, pois acha que este tipo de spots não tem tanto alcance na Internet. No entanto, Mediaworks, a agência publicitária contratada para a tarefa, cancelou sua publicação.

Segundo ele, foi por causa das companhias discográficas que pressionaram a agência. Mas conseguiu publicar o conteúdo no Souncloud:

Quanto ao preço

Embora ainda não tenham confirmado os preços de suas contas premium que pelas imagens se supõe que existirão tal como em Megaupload, com o recente anúncio de que os usuários que pagarão por contas premium em Megaupload as terão também em MEGA (com um Bonus), estimamos que os valores se manterão ou serão mais baixos (para competir com Dropbox e os outros novos serviços) para os primeiros.

Atualização: Foram conformados os preços, lembrando que 50 gigas são grátis:

€9.99 mês por 500 GB e 1 TB de largura de banda.
€19.99 mês por 2 TB e 4 TB de largura de banda.
€29.99 mês por 4 TB e 8 TB de largura de banda.

Atualização: hoje anunciou que não será possível a migração das contas premium na primeira fase, mas lutarão para acessar aos servidores e conseguir os dados necessários para isso.

A data de lançamento

O lançamento está previsto para para o dia 20 de janeiro de 2013 às 6:48 horas em Nueva Zelanda, e sábado 19 de janeiro, na mansão de Dotcom, com conferência para imprensa incluída. A hora coincide com a da prisão de um ano atrás.