Facebook divulga dados, incluindo pedidos de Segurança Nacional

Esta semana foi marcada pela polêmica em torno da privacidade das comunicações na Internet ante a revelação de Edward Snowden, ex-empregado de Booze Allen Hamilton, uma sub-contratada da NSA, de que uma série de empresas da Internet estaria colaborando com o Governo dos Estados Unidos oferecendo informação das comunicações de seus usuários dentro do projeto PRISM. O fato é que tanto as empresas negam tais colaborações, como o governo, que também, se prontificou a desmentir que estaria espionando os cidadãos.

Como o Facebook é uma das empresas apontadas, resoveu se pronunciar a fim de mostrar uma maior transparência ante seus usuários, para evitar todo tipo de preocupação. Por conta disso foi solicitado às autoridades de segurança nacional dos Estados Unidos uma maior transparência e flexibilidade sobre as órdens dadas em torno da segurança nacional, a qual são obrigados a cumprir.

Desta forma, agora incluirão em um relatório de transparência, todas as solicitações relacionadas com a segurança nacional dos Estados Unidos, comunicando somente seu número em seu conjunto, e em um intervalo de tempo, que não foi revelado no comunicado do Facebook.

Também deixam claro no próprio comunicado que em cada pedido que recebem, quer seja de governos estatais, locais, federais ou estrangeiros, prevalecem sempre o direito de sigilo dos dados dos usuários, por isso que recusam tais pedidos, ou diretamente, oferecendo menos dados do que os solicitados e diretamente, só atendendo à informação exigida por lei.

Revelam também que no segundo semestre de 2012, receberam entre 9.000 e 10.000 pedidos, cobrindo aspectos que vão desde um prefeito para a busca de um menor perdido até uma ameaça terrorista, incluindo a persequição de fugitivos, etc. O número de contas de usuário, as quais são solicitadas informações, se situa entre 18.000 e 19.000.

Via: Comunicado oficial do Facebook