Quais os fatores que mais afetaram o SEO em 2013? [PDF e gráfico]

infografia seo 2013

Tal qual em 2012 em SearchMetrics estudaram milhares de sites, especialmente os que estão em melhores posições, para tentar compreender o quão correlacionadas podem estar cada uma das variáveis que afetam cada site com a posição que mantém no Google para assim tratar de entender as mais destacadas. Para isso foi utilizado uma simples medida descritiva chamada coeficiente de correlação de Spearman que afere valores entre 1 e -1 sendo “1″ a correlação positiva perfeita (se uma variável aumenta ou diminui, a outra responde da mesma forma), “-1″ uma correlação negativa ou inversa (se uma aumenta a outra diminui proporcionalmente e vice-versa), e “0″ uma correlação nula.

Mais de 40 variáveis foram avaliadas, entre elas as relacionadas à popularidade nas redes sociais, links, palavras chave, qualidade de conteúdo, anúncios e outros detalhes técnicos das páginas. Os resultados foram gravados no colorido infográfico da parte acima (clic sobre ele para vê-lo em seu tamanho original) onde se vê que embora algumas variáveis pareçam ser mais importantes que outras nem sequer a aproximação mais alta supera o 0.5 de correlação, o que daria mais razões para pensar que os algorítmos de Google são tão complexos como caprichosos.

O obtido:

Para um melhor entendimento do comportamento destas correlações foram tiradas meia dezena de importantes conclusões que poderiam servir de sugestões para tratar de melhorar a posição no Google. As 70 páginas do estudo completo podem ser detalhadas de forma gratuita em sua versão em PDF. Claro, dá para pegar muito ao pé da letra os resultados, são só sugestões, dá para ver que o tema não é uma ciência exacta.

1. As palavras chave perderam relevância

Comparadas ao ano de 2012, as palavras chave em links e nomes de domínio perderam bastante importância. Como podemos ver nos últimos anos e como afirmam em SearchMetrics com seu estudo, “os dias de otimização de palavras acabaram”, de resto, não surpreende ver penalizações agora por fazer uso de técnicas deste estilo e excesso já que o Google segue e seguirá dando mais importância aos links naturais, incluindo os pessoais.

2. As marcas e sites com prestígio são exceção a muitas regras

A exceção que mostra que isso não é uma ciência exata: Google trata de uma maneira uns e de outra maneira os demais. As marcas e sites con prestígio seguem mantenndo posições privilegiadas inclusive saltando algumas das mais comuns sugestões e até se excedendo nas não recomendadas. Exemplo específico disso são os brand links ou links a marcas que apesar de linkar uma marca em sua URL e na palavra de link, seguem tomando-se como links naturais.

3. Há uma alta relação entre a parte social e o posicionamento

A maioria dos sites mais populares e que ocupam as primeiras posições no Google, gozam de uma popularidade importante nas redes sociais refletida tanto em seus milhares de seguidores como na enorme quantidade de vezes que se compartilham e se recomendam suas páginas, por exemplo, através de tweets, “curtir”, “compartilhar” e as os “+1″ dados com o botão do Google+.

4. O conteúdo de alta qualidade é imprescindível

contenido SEO
O número de palavras, os detalhes nos subtítulos, os links, o número de imagens, a quantidade de anúncios e outras variáveis relacionadas aos conteúdos publicados nos sites, mostram qua a qualidade do conteúdo segue sendo um fator primordial e determinante do posicionamento do Google. O conteúdo natural (sem otimização), original, legível e acompanhado de bom material multimídia, segue conseguindo os melhores lugares no buscador.

5. Continua sendo importante a quantidade de backlinks

Como desde o início, os links que entram ou backlinks continuam sendo importantíssimos na hora de conseguir posição no Google, só que agora se dá mais importância à sua qualidade mais do que sua quantidade, isto, é, as recomendações em forma de links sem tantas palavras chave provenientes de sites web que compartilham a temática e ostentan posições privilegiadas no buscador.

6. A parte técnica do site claramente é a cereja do bolo

Outra forma de dar relevância ao conteúdo é avaliar o manejo das palavras chave por trás dos bastidores (etiquetas HTML na estrutura da página), sua localização nas diferentes seções da página, aparecer de forma amigável no buscador cada detalhe técnico que influa na indexação (incluindo uma clara descrição) e a velocidade do site cuja otimização pode ser bem respondida especialmente por usuarios de móveis, preferidos pelo Google na hora de personalizar seus resultados.