A folha artificial que gera mais energia que a fotossíntese

Energia criada de forma limpa, barata e simples, isso é o que Daniel Nocera mostra nesta reportagem da CNN no qual é mostrado um pequeno dispositivo, uma “folha artificial” que é capaz de separar o oxígeno do hidrogênio da água ao receber luz solar.

Não é a primeira vez na história que se tenta realizar a fotossíntese de forma artificial, há um artigo completo em Wikipedia que mostra estas tentativas, embora pelo artigo da CNN parece que desta vez estamos falando de algo mais que uma simples “tentativa”.

Se trata de uma tira de silício recoberta com compostos metálicos de baixo custo – um catalizador de fosfato de cobalto que estimula a criação de oxigênio, e uma junção de níquel e zinco que faz o mesmo para o hidrogênio. O processo só consome a energia que recebe do sol, algo que foi pouco eficaz quando se testou pela primeira vez, em 2008, porém, parece que agora melhora a própria natureza, aproveitando 7% da luz recebida (as folhas das plantas só aproveitam 1%).

O objetivo é que com duas garrafas d’água se possa proporcionar energia para uma casa com uma fonte de alimentação de 100 watts constante, com suficiente hidrogênio e oxigênio engarrafado para alimentar a casa durante o dia e a noite.

Eletricidade sem fio, uma forma de gerar hidrogênio, um combustível extremamente poderoso que, se continuar sendo desenvolvido, permitirá que sejam esquecidas as fontes de energia atuais.

Uma vez que se consiga o hidrogênio poderia ser combinado com CO2 para produzir tipos de combustíveis líquidos com os quais estamos mais familiarizados (gasolina ou diesel), embora para realizar esse processo será preciso avançar um pouco mais nessa ideia.

Veja o vídeo com a reportagem: