A nova versão de Google Drive para móveis não permite mais editar documentos

Com o objetivo de manter Google Drive como disco rígido virtual, que possa organizar e consultar arquivos, e deixar a responsabilidade da edição com os novos aplicativos, os quais já mostramos por aqui, a nova versão de Google Drive já mostra as imagens abaixo quando queremos editar um arquivo:

Embora seja uma perda de funcionalidade, que muitos usuários podem até não ver com bons olhos, esse passo é lógico, permitindo que a evolução da edição e colaboração em documentos sejam feitas de forma independente, algo que ajudará a melhorar a qualidade de cada um dos aplicativos.

Tudo bem que agora é preciso 3 aplicativos para fazer o que antes fazíamos com um (necesitaremos de quatro quando apresentarem o aplicativo de apresentações, que ainda está no forno), porém, certamente, a partir de agora veremos atualizações independentes, dosificadas e mais inteligentes.

Se a colaboração com um documento em TXT apresentava algum problema agora não será preciso atualizar um Google Drive completo, cuja missão é o guardar e organizar arquivos, sendo possível agora ter uma manutenção segmentada na qual, certamente, os usuários acabarão ganhando. Por outro lado as equipes de programadores responsáveis por cada funcionalidade poderão trabalhar de forma paralela sem ter um sistema de controle de versões tão complexo como o anterior.

Ao querer editar um documento com o novo Google Drive veremos como se abre automaticamente o aplicativo responsável por esta edição, sendo transparente para o usuário.

Esperamos, porém, que o consumo de memória no móvel não seja duplicado (ou triplicado) por termos que abrir mais de um aplicativo ao mesmo tempo…