Professor desenvolve carcaça para smartphone mais forte que aço

Hoje em dia, é impossivel viver sem nossos smartphones, que levamos para todos os lugares, e não é raro que uma vez ou outra, possamos até os deixar cair. Por isso, é recomendável utilizar uma capa para oferecer uma proteção extra. Pois então, parece que isso pode não ser mais preciso graças ao invento de um professor de engenharia mecânica da Universidade Yale.

Jan Schroers, professor da universidade, desenvolveu uma técnica com a qual é capaz de criar umas carcaças finas, mais resistentes que o aço e tão moldáveis como o plástico. Tal como o próprio professor comentou, o material empregado é 50 vezes mais resistente que o plástico, umas 10 vezes mais resistente que o alúminio e 3 vezes mais que o aço: o BMG ou ‘bulk metallic glasses’.

Durante anos, instituições acadêmicas e comerciais vem trabalhando com este tipo de materiais para encontrar formas melhores de moldá-lo, algo que até agora não deu resultado. Schroers esteve trabalhando durante cerca de uma década com o BMG para finalmente averiguar a melhor forma de dar-lhe forma. 

No lugar de fundir o material e forçá-lo a um molde a elevadas temperaturas (com a enorme quantidade de energia que requer este processo), são aproveitadas as propriedades do material e, aplicando temperaturas extremamente frias, se consegue levar o material a um estado líquido, permitindo torná-lo moldável. Posteriormente, o material adquire uma estrutura vítrea mais resistente.

O processo de fabricação, mais versátil, rápido, preciso e econômico, acabou levando o professor a criar a sua própria empresa – Supercool Metals – com todos os direitos para começar a trabalhar com esta tecnologia. Esperam poder comercializar estas carcaças (embora em pequena escala) no final de 2015.

Veja abaixo um vídeo mostrando um vídeo do processo de fabricação: