Netflix passa a funcionar no mundo todo, menos na China

netflix

Pronto, agora a Netflix chegou a mais 130 países, ou seja, praticamente, virou um serviço global…ou quase, já que a China, com seus milhões de habitantes, ficou de fora.

Pois é, até Cuba, outro país conhecido pela restrição, também recebeu esse famoso serviço de streaming, que já funcionava até agora em 60 países, mas a China não, e além dela, a Síria, Crimeia e Coreia do Norte, é o que foi anunciado durante a Consumer Electronic Show (CES 2016).

De acordo com Reed Hastings, presidente-executivo do Netflix:

“É o mundo todo, com a exceção da China. Mas estamos nos esforçando para estar lá também.”

Leia também: NETFLIX COMEÇA A INCORPORAR ÁUDIO DESCRITIVO EM SUAS SÉRIES

Pois é, em muitas regiões a Netflix ainda não havia aterrizado por motivos mais técnicos que políticos, já que não era qualquer lugar que a Internet possuía a velocidade que a Netflix necessitava, embora no caso da China as questões eram outras, como de proteção aos direitos autorais e restrições à internet. Mas agora, muitos países emergentes já podem comemorar, tais como a Índia, Indonésia e Rússia.

Durante sua apresentação, Hastings fez questão de ressaltar o conteúdo próprio da Netflix, as séries que vêm alcançando um sucesso enorme nos últimos meses, muitas delas ganhadoras de prêmios que, até agora, estavam destinados aos gigantes de sempre.

Leia também: NETFLIX ESTÁ TESTANDO INCLUIR ANÚNCIOS PRÓPRIOS EM SUAS SÉRIES

Hasting também comentou que boa parte dos internautas vive em países emergentes e que em todo lugar que ia lhe perguntavam ‘quando o netflix chegará aqui?’.

Além de apresentar os trailers de duas novas séries originais: “The Crown”, sobre a rainha Elizabeth, da Inglaterra; e “Get Down”, sobre hip-hop, o executivo-líder da NETFLIX comentou que, adicionaram aos 17 idiomas que já suportavam o árabe, coreano, chinês, portanto, já é meio caminho andado até à China, agora é só esperar que o filtro de conteúdo seja negociado para que possa entrar em um país onde se limita bastante o que pode ou não ser visto pela Internet.