Depois de 24 séculos os Manuscritos do Mar Morto chegam à web graças ao Google

Segundo informam no blog do Google, onde nos contam a história que tem permitido levar os Manuscritos do Mar Morto à Internet.

[…] graças ao trabalho de arqueólogos, acadêmicos, historiadores e o aparecimento da Internet, agora os Manuscritos do Mar Morto estão ao alcance de todo o mundo. Hoje, às vésperas do ano novo do calendário hebraico, celebramos o lançamento da coleção dos Manuscritos do Mar Morto disponível na Internet, um projeto do Museu de Israel em Jerusalém, com o apoio da tecnologia do Google.

Escritos entre os séculos III e I a. C., incluem os manuscritos bíblicos mais antigos que existem. Agora qualquer um pode ver, ler e interagir com cinco Manuscritos do Mar Morto que foram digitalizados.

As fotografias de alta resolução, tomadas por Ardon Bar-Hama, são de 1.200 megapíxels, uma definição quase 200 vêzes superior a de uma câmera digital normal, de modo que se possam distinguir os detalhes mais minúsculos do pergaminho.

Poderá ler mais sobre este projeto, em espanhol, no Blog oficial do Google Espanha.