Facebook quer se transformar em um ‘ambiente hostil’ para terroristas

Facebook-create

Facebook informou que está trabalhando para que sua plataforma seja “hostil” aos terroristas, um comentário publicado depois do ataque realizado este fim de semana em Londres, que deixou sete mortos e dezenas de feridos.

A declaração foi feita por Simon Milner, diretor de política da empresa, que explicou que estão trabalhando para eliminar o conteúdo terrorista, o que ajudará a evitar que certos grupos usem a plataforma para se comunicar e organizar, assim, os atentados.

Leia também: SPACES, O NOVO APLICATIVO DE REALIDADE VIRTUAL DO FACEBOOK, AGORA DISPONÍVEL EM FASE BETA

Por outro lado, a Primeira Ministra britânica, Theresa May, já havia pedido anteriormente uma reforma na estratégia usada para combater o extremismo, exigindo uma maior regulamentação internacional para a internet, dizendo que grandes empresas do setor, como Facebook, Whatsapp entre outras, eram parcialmente responsáveis por dar espaço para que as ideologias extremistas se desenvolvam.

May comentou também que os governos democráticos devem regulamentar o ciberespaço, pressionando, assim, as empresas de tecnologia que criaram canais criptografados, protegendo as comunicações entre seus usuários.

Facebook prometeu detectar conteúdo relacionado às organizações de ataques, e avisarão as autoridades quando isso ocorrer. Nick Pickles, chefe de Políticas Públicas do Twitter também se pronunciou, afirmando que “conteúdo terrorista não tem vez no Twitter”.

Leia também: FACEBOOK APRESENTA FERRAMENTA PARA ARRECADAR FUNDOS

Sem dúvida, será um grande dilema durante os próximos anos, já que para identificar conteúdo é preciso analisar o que os usuários escrevem, e isso não seria possível em uma plataforma criptografada corretamente.