Nova app usa a inteligência artificial para tratar a depressão

Woebot
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a depressão afeta quase 300 milhões de pessoas em todo o mundo, um número suficientemente importante para levar em conta na hora de buscar soluções usando a tecnologia.

Enquanto os profissionais da saúde estudam para conhecer melhor a depressão e tratá-la da forma mais efetiva, começam a aparecer soluções relacionadas à inteligência artificial, e hoje apresentaremos mais uma, um chatbot chamado Woebot (no momento só para iOS e Facebook messenger, com versão android a caminho).

Leia também: FACEBOOK POTENCIA SUA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL PARA DETECTAR TENDÊNCIAS SUICIDAS

Criado por Alison Darcy, psicóloga clínica da Universidade de Stanford, é um aplicativo de chatbot para telefones inteligentes que serve para ter um primeiro contato com “alguém” quando se sofre de depressão. Para as pessoas que não estão prontas para falar com outra pessoa pode ser uma excelente solução, um primeiro passo necessário.

Woebot usa os princípios da terapia cognitivo-comportamental para adaptar suas respostas, uma forma de terapia de conversas que aborda problemas de saúde mental ajudando um indivíduo a mudar seu padrão de pensamento negativo.

Em Futurism mostram um exemplo:

Se Woebot pergunta como vai seu dia, e você responde algo como, “Mal, me sinto inútil”, Woebot o reconhecerá como uma “conversa interna negativa”, e dirá que isso não é verdade.

Se um usuário transmite pensamentos e sentimentos durante o chat que, segundo Woebot, são suicidas ou poderiam provocar autolesões, o aplicativo entrará em modo crise. Neste modo, Woebot assinala ao usuário que não é capaz de lidar com essa situação e proporciona números de emergência e um link a um aplicativo chamado Tec-Tec, que previne la autolesão planejada e o comportamento suicida.

Leia também: MICROSOFT LANÇA UMA APP PARA APRENDER CHINÊS COM A AJUDA DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Certamente, eles não tem a pretensão de substituir um terapeuta, porém, pode ajudar aquelas pessoas que se recusam a consultar um profissional.