Assim funciona o preenchimento automático das pesquisas do Google

google

A função de preenchimento automático é muito antiga no Google, uma função projetada para agilizar as buscas, evitando ter que teclar no buscador, hoje explicaremos com detalhes seu funcionamento.

Disponível na página principal do Google, o aplicativo Google para iOS e Android, o quadro de busca rápida dentro de Android e a barra de endereços “Omnibox” dentro de Chrome, tenta prever o que vamos escrever em função da frequência das buscas realizadas por outras pessoas.

Leia também: GOOGLE CHROME ESTÁ INCORPORANDO ACESSO RÁPIDO AO SELETOR DE EMOJIS DO SISTEMA OPERACIONAL

Google analisa as buscas reais feitas no Google, mostrando as tendências mais comuns e relevantes em função do lugar em que nos encontramos e das buscas feitas anteriormente, já que são sugestões personalizadas. As previsões mudam conforme informamos novos caracteres, sendo eliminadas as previsões que vão contra a política da empresa:

– Previsões sexualmente explícitas que não estão relacionadas com temas médicos, científicos ou de educação sexual
– Previsões que estão relacionadas a ódio contra grupos e indivíduos por raça, origem étnica, religião, deficiência, gênero, idade, nacionalidade, orientação sexual ou identidade de gênero.
– Previsões violentas
– Atividades perigosas e prejudiciais

Também eliminam previsões consideradas spam, associadas à pirataria, ou em resposta a solicitações legais válidas.

Embora o conceito tenha uma relação com Google Trends, não é a mesma coisa. Trends está projetado como um sistema para que qualquer pessoa investigue deliberadamente a popularidade dos temas de busca ao longo do tempo, a política de eliminação de preenchimento automático não é usada para Google Trends, por exemplo.

Possui sistemas projetados para detectar automaticamente previsões inapropriadas e não mostra-las, porém, é possível haver erros, por isso, as vezes é possível ver alguma previsão que não cumpre sua política. Porém, quando alguém o denuncia, o eliminam rapidamente. Vale ter em conta que as previsões não são resultados de busca, e não limitam o que se pode buscar.

Para poder eliminar melhor as previsões inadequadas, no ano passado, Google apresentou uma ferramenta de comentários, e vem usando os dados desde então para realizar melhoras em seus sistemas. De fato, nas próximas semanas veremos melhorias nos critérios usados para eliminar termos relacionados a ódio e violência.

Leia também: GOOGLE LANÇA NOVAS FUNÇÕES PARA A LEITURA DE AUDIOLIVROS

No blog do Google comentam mais alguns detalhes sobre esta função, que vem melhorando pouco a pouco.