Banco do Brasil oferece já 15 serviços pelo Whatsapp

banco-do-brasil
O Banco do Brasil continua apostando no Whatsapp para facilitar a gestão a seus clientes.

Agora lançaram um serviço que permite que titulares de contas retirem dinheiro através do WhatsApp. Só é preciso incluir um contato do BB (um chatbot baseado em Watson, da IBM) e solicitar o serviço, sendo necessário inserir um PIN para confirmar a operação. Uma vez que a identificação apropriada tenha sido feita, o robô BB nos oferecerá um número que teremos que informar ao caixa para obter o dinheiro.

Leia também: WHATSAPP IMPLEMENTA UM NOVO LIMITE PARA O REENVIO DE MENSAGENS

O sistema é simples, embora limitado a 300 reais (cerca de 60 euros) e disponível apenas para o mesmo dia do saque.

A ideia é oferecer segurança em um país onde o roubo é comum, porque se formos a um caixa eletrônico sem cartão, apenas com um código alvo, é menos provável que se perca mais dinheiro. Os seqüestros relâmpagos em que os bandidos forçam uma pessoa a ir de caixa em caixa, pegando dinheiro também seriam afetados, já que não há cartões nas ruas, apenas números.

Banco do Brasil vem oferecendo vários serviços deste tipo (já são 15) aproveitando Whatsapp, incluindo a transferência de dinheiro entre pessoas, Consulta de Código IBAN, Recarga de telefone, desbloqueio de cartão, saldo de conta corrente, extrato de conta corrente, extrato de poupança, saldo de poupança, extrato de fundos de inversão, rastreio de cartão e faturas de cartão.

Leia também: STICKER STUDIO, PARA CRIAR PACOTES DE STICKERS PARA WHATSAPP A PARTIR DO ANDROID

Desde 2017, o Banco de Brasil utiliza o IBM Watson, uma solução em inteligência cognitiva, para ajudar os funcionários a resolver problemas dos clientes. Em agosto de 2017, o Facebook Messenger também começou a ser usado. O assistente virtual responde usando uma linguagem natural e aprende constantemente com base nas interações dos usuários. Após o lançamento do seu Assistente Virtual, o Banco do Brasil aumentou suas interações com os clientes através das mídias sociais em 71%.