Um novo algoritmo para detectar deepfakes

Nem sempre as imagens tratadas, com photoshop e outros programas, podem ser claramente detectadas, como no caso da imagem acima, com Julia Roberts, que até mandaram remover da mídia. Algumas imagens fakes, no entanto, são bem difíceis de serem percebidas, o que pode criar situações bem perigosas. Pensando nisso, volta e meia aparecem soluções para detectá-las, porém, com a mesma velocidade, aparecem formas de burlar essas soluções.

Agora, anunciaram um novo algoritmo para detectar essas imagens falsas, aquelas imperceptivelmente alteradas e detectadas pelos sistemas de inteligência artificial.

Leia também:TWITTER COMPRA EMPRESA DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL PARA LUTAR CONTRA FAKE NEWS

Seu funcionamento é baseado na seleção de informações falsas de imagens não manipuladas até o nível de pixel individual, com uma precisão entre 71 e 95%, dependendo do conjunto de dados de amostras usado. O algoritmo ainda não foi estendido para incluir a detecção de vídeos, mas garantiram sucesso em indicar se uma fotografia é real ou não.

Muitas Deepfakes foram identificadas em lançamentos de produtos comerciais e campanhas eleitorais, onde vídeos e imagens falsas podem alterar a forma como os eventos se desenrolam. Agora,  desde o IEEE Transactions on Image Processing,, avisam que os algoritmos para detectar essas fraudes têm funcionado, mas ainda são sistemas probabilísticos, então, não podem garantir 100% de precisão absoluta.

Leia também:SRI LANKA BLOQUEIA REDES SOCIAIS PARA EVITAR NOTÍCIAS FALSAS

Nesse caso, a rede neural foi treinada, permitindo examinar milhares de imagens falsas e genuínas, aprendendo algumas das qualidades que tornam as falsificações a nível de um único pixel. Depois de ver como as fotos foram manipuladas, acaba aprendendo quase todos os truques.