Magnus: o aplicativo que reconhece obras de arte


Após todo o sucesso alcançado de Shazam, aplicativo usado para identificar músicas em segundos, surgiram muitas iniciativas usando esse mesmo conceito.

Uma deles é Magnus, que vem ganhando notoriedade devido à capacidade do aplicativo de reconhecer obras de arte.

Para fazer isso, é só abrir o aplicativo em seu smartphone e tirar uma foto da obra de arte. Em seguida, na opção Usar, da interface Magnus, se inicia o processo de busca, e em poucos segundos, será exibido o nome da obra de arte, a data em que foi feita, dimensões, valor de venda, entre outros dados relacionados.

Toda essa informação é armazenada em uma pasta incorporada no aplicativo chamado My Art.

Magnus é apenas um dos diversos aplicativos para smartphones desenvolvidos com o objetivo de reconhecer o mundo físico, usando algoritmos que fornecem informações instantâneas sobre artigos, músicas, roupas e até plantas.

No caso do Magnus, este aplicativo possui um banco de dados no qual mais de 10 milhões de imagens de arte estão armazenadas.

Isso serve não apenas como um guia para as pessoas que amam arte, mas também para quem deseja investir em obras de arte e quer obter todas as informações necessárias antes de licitar a peça de sua escolha.

De acordo com Magnus Resch, criador do aplicativo, há muito mais arte no mundo do que músicas, o que torna o processo de reconhecimento uma tarefa mais difícil para criar uma versão do Shazam para a arte. Essa dificuldade se torna maior quando se trata de catalogar obras de arte individuais pouco conhecidas.

Com relação à possibilidade de violação de direitos autorais, Resch disse que seu aplicativo está protegido pela Lei de Direitos Autorais do Milênio Digital, o que significa que seus usuários podem ter a oportunidade de fotografar e compartilhar obras de arte.

Você pode acessar o site em magnus.net .

A propósito, se o Magnus não estiver disponível no seu país, poderá usar o próprio sistema de reconhecimento do Google Arts (em 2010, o Google comprou Plink, uma ferramenta para reconhecer obras de arte e, desde então, vem trabalhando muito nesse assunto).