Um assistente virtual para detectar Alzheimer


Os assistentes virtuais podem nos ajudar a executar tarefas de vários tipos, mas também existem estudos que usam essa tecnologia para o mundo da medicina.

É isso que eles estão fazendo no Centro Médico da Universidade Hadassah, em Jerusalém, um assistente especialmente projetado para detectar pacientes com Alzheimer.

Dr. Shahar Arzy, diretor do laboratório de neuropsiquiatria computacional no centro, é responsável pelo projeto. Ele acredita que é essencial poder diagnosticar os estágios pré-clínicos da doença e, para isso, criaram um assistente chamado Clara.

O sistema faz perguntas aos pacientes sobre si mesmo, investiga sobre a vida pessoal um do outro, sobre os relacionamentos que eles têm com os outros, os lugares que freqüentam, os eventos aos quais foram … todas essas informações são processadas com aprendizado de máquina comparando com os dados que já possui, podendo dizer se há algum sinal da doença nessa pessoa.

O artigo publicado na revista Neuropsychology mostra 95% de precisão. Em seu site, hadasit.org.il , eles descrevem assim:

Clara é um aplicativo digital simples, mas altamente sensível que identifica comprometimento cognitivo leve em estágio inicial e doença de Alzheimer com precisão e facilidade sem precedentes. A avaliação aborda o distúrbio central da doença de Alzheimer de maneira personalizada. O progresso recente do laboratório inclui estudos de pacientes sob neuroimagem multimodal, um estudo em larga escala na China e colaboração com vários estudos em andamento em todo o mundo.

Ainda é cedo para poder colocar o produto no mercado, incluí-lo em clínicas e hospitais, colocá-lo nas mãos de terapeutas e especialistas, mas eles já estão trabalhando para que, em um futuro próximo, seja possível se identificar mais cedo para que eles possam agir melhor.