Google apresenta Autoflip, solução de código aberto para recorte de vídeo inteligente


Os celulares inteligentes tornaram-se parte essencial de nossas vidas e, entre outros usos, podemos usá-los para visualizar conteúdo audiovisual. Geralmente, esses conteúdos são criados para serem exibidos em telas em formato horizontal, mas há quem tenha adaptado esse tipo de conteúdo para visualização em diferentes formatos, fazendo os cortes correspondentes.

Agora, o Google oferece uma alternativa mais eficiente, graças à Inteligência Artificial e ao aprendizado de máquina .

Trata-se de AutoFlip, sua nova solução de código aberto que permite criar um corte automático de forma inteligente em todo o conteúdo, através de uma análise prévia, para tentar identificar o que não pode ficar de fora.

A ideia é que os elementos relevantes nunca sejam deixados de fora dos cortes, sejam eles pessoas, objetos ou qualquer outro que esteja no centro do palco. De fato, sendo de código aberto, Google deixa as portas abertas para que desenvolvedores terceirizados ampliem os recursos de AutoFlip para manter na imagem qualquer elemento relevante, além das pessoas ou objetos atualmente suportados.

De acordo com o Google:

Usamos modelos de detecção de objetos baseados em aprendizado profundo para encontrar conteúdo interessante, e esse conteúdo geralmente inclui pessoas e animais, mas outros elementos podem ser identificados, dependendo do aplicativo, incluindo sobreposições de texto e logotipos para comerciais e etc…

Depois de identificar os protagonistas em cada quadro:

AutoFlip escolhe automaticamente uma estratégia de redirecionamento ideal: estacionária, panorâmica ou de rastreamento, dependendo de como os objetos se comportam durante a cena (por exemplo, em movimento ou estacionária).

Com AutoFlip, você obtém uma melhor adaptação do conteúdo audiovisual criado em um formato específico para sua diversão em diferentes formatos, para visualização em telefones celulares ou outros tipos de mídia eletrônica.

Para mais informações, os interessados ​​podem acessar o blog oficial de código aberto do Google .

Crédito de imagem: Google