Museus da China fecham suas portas, mas disponibilizam as coleções na Internet


Com a febre do coronavírus, muitos eventos estão sendo cancelados em todo o mundo, jogos de futebol são realizados com portas fechadas e museus deixam de receber visitantes.

É o que está acontecendo na China, onde museus de todo o país foram forçados a fechar temporariamente suas portas devido ao surto do coronavírus de Wuhan.

Em resposta a essa situação, a Administração Nacional do Patrimônio Cultural da China (NCHA) solicitou que permanecessem ativas nas redes sociais e oferecessem seus serviços digitalmente, algo que muitos já fizeram.

Entre eles está o Museu do Palácio de Pequim, localizado dentro da Cidade Proibida, um museu que, embora não esteja disponível fora da China continental, já possui links para centenas de exposições e galerias no site da NCHA, aqui e aqui (em chinês), acessível em qualquer lugar e, às vezes, incluindo informações em inglês.

Desde exposições de como o Festival da Primavera foi realizado na Cidade Proibida, na China antiga, até uma exposição de artefatos chineses repatriados da Itália, do Museu Nacional de Pequim, a quantidade de material é enorme. Podemos ver o mapa com os museus disponíveis neste link .

Eles comentam sobre a opencultura que a necessidade do NCHA de instituições culturais de fortalecer sua presença na Internet não é a única medida que está sendo tomada na China. Eles também estão lançando uma plataforma nacional de aprendizado em nuvem e começaram a transmitir aulas do ensino fundamental para garantir que os 180 milhões de estudantes no país possam continuar aprendendo, mesmo que as escolas estejam fechadas.

Sem dúvida, é um bom momento para acessar um monte de conteúdo que até agora só podia ser apreciado em viagens.