Ikea aposta no digital: deixará de imprimir seu catálogo após 70 anos


O catálogo IKEA, conhecido no mundo inteiro, deixará de existir tal como o conhecemos, dando assim o passo digital que muitos esperavam.

A IKEA anunciou que deixará de publicar seu amado catálogo após 70 anos de edições anuais.

O diretor-geral da IKEA, Konrad Grüss, comentou que a decisão tem sido racional, pois o interesse dos clientes pelo catálogo impresso diminuiu.

Logicamente, em pleno 2020, os leitores buscam alternativas digitais, mais práticas e ecológicas. Na verdade, o catálogo 2021, recém-lançado, será a última edição que veremos no papel.

Esses catálogos são mais do que livros, sempre foram a principal ferramenta de marketing da empresa, tanto que têm até um museu com números.

Durante décadas, milhões de pessoas esperaram pelo livro, pois tinha um design, uma fotografia e um toque de humor que o tornaram realmente especial, evoluindo ao longo do tempo, juntamente, com o cliente.

Comentam sobre gizmodo :

A IKEA considera a edição de 1951 desenhada pelo fundador da empresa, Ingvar Kamprad, como o primeiro catálogo oficial, mas houve uma edição básica mais tradicional lançada em 1950. A primeira edição do catálogo a ser colocada online na sua totalidade chegou em 2000, e a IKEA afirma que atingiu o pico de leitores em 2016 com 200 milhões de cópias distribuídas em 32 idiomas.

Agora o catálogo será 100% digital, porém, para outono de 2021, a IKEA já planeja lançar um livro comemorativo documentando a história do catálogo que estará à disposição dos clientes em suas lojas físicas.