Redes Sociais unem forças para combater notícias falsas sobre as vacinas contra Covid-19


Facebook, Twitter e YouTube trabalharão juntos para combater notícias falsas e desinformação sobre as vacinas contra COVID-19.

No início da pandemia, várias empresas de tecnologia se uniram para acabar com a desinformação sobre o coronavírus. E agora estão se juntando a uma nova iniciativa para conter conspirações e desinformação sobre as diferentes vacinas contra COVID-19, com uma abordagem simples, trabalharão para que os usuários tenham informações confiáveis ​​nas plataformas sociais.

Já vimos como cada plataforma tem tomado medidas diferentes para eliminar conteúdos que desinformam sobre o COVID-19 e os diferentes projetos de vacinas. Por exemplo, o Facebook está usando um novo sistema de inteligência artificial para agilizar o processo de moderação de conteúdo na plataforma.

Por outro lado, também possui seu Centro de Informações e diversas notificações que são exibidas em diferentes seções da plataforma. Twitter também possui seu sistema de moderação, rótulos e mensagens de advertência, para que o usuário saiba que determinado tweet pode conter informações enganosas ou não confirmadas.

E quanto ao YouTube, ele vem investindo em verificação de dados para direcionar os usuários a informações confiáveis ​​sobre o coronavírus e possíveis vacinas. Uma dinâmica que é ativada com determinadas pesquisas ou durante a exibição de vídeos sobre COVID-19.

No entanto, seus sistemas não são perfeitos. Todas as plataformas sociais foram criticadas pela ineficácia de seus sistemas de moderação e pela demora na remoção de conteúdo que promove teorias de conspiração sobre vacinas ou causa confusão entre os usuários.

Nesta nova iniciativa, Twitter, Facebook e YouTube trabalharão em conjunto com representantes do Canadá e do Reino Unido para evitar que notícias falsas sobre vacinas se tornem virais sob uma abordagem comum. E será coordenado pela Full Fact, uma instituição de caridade que verifica os fatos.

Eles ainda não deram detalhes sobre a dinâmica desta nova iniciativa. Até o momento, sabe-se apenas que essa primeira etapa será financiada pelo Facebook. E em janeiro de 2021, novas metas e padrões que seguirão para lidar com a desinformação serão definidos.

Sem dúvida, uma iniciativa mais do que bem-vinda, já que cientistas e organizações estão tentando acelerar o desenvolvimento da vacina, e 2021 pode se transformar em um caos de desinformação sobre as diferentes iniciativas e suas fases.