Disney+ proibirá o acesso de perfis infantis a filmes de animação clássicos marcados como racistas


Felizmente, os tempos mudaram. Resultado de um longo processo, o respeito ao multiculturalismo e a rejeição do racismo se tornaram não apenas uma base para uma vida melhor em sociedade, mas também um padrão para muitas indústrias.

No campo do audiovisual, a Disney tem participado dessa questão. Ciente da carga histórica de seu catálogo, que contém peças que hoje poderiam ser classificadas como racistas, pela forma como algumas histórias ou personagens em particular são apresentados, novas medidas foram adotadas em sua plataforma de streaming, Disney +, quanto à forma em que esses conteúdos são apresentados.

Como um verdadeiro reflexo da época em que estas peças audiovisuais foram lançadas, estereótipos racistas podem ser encontrados em várias obras cinematográficas das últimas décadas, colocadas com total normalidade e leveza. Hoje, essas práticas são consideradas comportamentos condenáveis, produto de uma evolução gradual.

Embora filmes como as versões clássicas de Peter Pan, Lady and the Tramp, The Jungle Book, The Aristocats e Dumbo possam se encaixar nesses estereótipos, eles continuam a fazer parte do material mais procurado do catálogo da Disney, pelo impacto que tiveram em várias gerações.

No entanto, como medida de adaptação aos tempos, a Disney passará a limitar o acesso a esses filmes, exibindo um texto de advertência nos perfis adultos e retirando-os dos resultados das buscas nos perfis infantis.

A iniciativa faz parte do programa Histórias Importam, no qual Disney aponta a responsabilidade que elas têm na hora de comunicar mensagens, uma vez que transmitem imaginários sociais completos, sob os quais são concebidas realidades individuais e coletivas.

Em relação aos avisos que são exibidos na tela ao visualizar qualquer um dos títulos catalogados sob este rótulo, apenas de um perfil adulto, o texto que é exibido é extenso e poderoso:

Este programa inclui representações negativas e/ou maus-tratos de pessoas ou culturas. 

Esses estereótipos estavam errados na época e estão errados agora. Em vez de remover esse conteúdo, queremos reconhecer seu impacto prejudicial, aprender com ele e iniciar a conversa para criarmos juntos um futuro mais inclusivo.

A Disney está comprometida em criar histórias com temas inspiradores e ambiciosos que refletem a rica diversidade da experiência humana em todo o mundo.

Apagar a história seria um passo errado. Esta iniciativa ajuda a colocar em cima da mesa questões que por algumas gerações foram normalizadas desde o berço, para hoje falar sobre elas com maiores alturas.

Anteriormente, desde 2019, a Disney+ passou a adicionar rótulos de advertência a alguns de seus conteúdos, mas não com mensagens assim colocadas, apresentando uma proposta editorial e curatorial inédita no contexto da distribuição digital de conteúdos audiovisuais.

Os títulos submetidos a estes filtros de conteúdo podem ser consultados no portal da iniciativa Stories Matter , onde podemos encontrar uma secção com a lista de filmes e as observações efetuadas sobre a sua narrativa, justificando as medidas aplicadas.

Este trabalho de seleção foi realizado pela Disney em colaboração com organizações ligadas às questões de equidade de gênero, equidade racial, pró-diversidade e uma longa etc. que busca representar a pluralidade e complexidade da sociedade em que operamos hoje.