TikTok remove 89 milhões de vídeos de violência, suicídio e outros


TikTok publicou um novo relatório de transparência, e nele podemos ver que mais de 89,13 milhões de vídeos foram removidos de sua plataforma no segundo semestre de 2020.

O país que teve mais vídeos excluídos foram os Estados Unidos, embora comentem que 83,3% foram removidos antes de aparecerem, portanto não geraram problemas entre os usuários.

Embora o número pareça muito grande, ele representa apenas 1% de todos os uploads para a plataforma. Os motivos são muito diversos, todos relacionados com a violação de várias condições detalhadas nas diretrizes da plataforma: problemas de segurança envolvendo menores, conteúdo violento e gráfico, atividades ilegais e bens regulamentados, e suicídios e atividades perigosas.

No geral, cerca de 92,4% dos vídeos foram removidos antes que os usuários os relatassem e 93,5% dentro de 24 horas após a postagem. Mais de 6,14 milhões de contas foram fechadas, enquanto quase 9,5 milhões de contas de spam foram removidas junto com 5,23 milhões de vídeos de spam postados por essas contas. A criação de 173,25 milhões de contas foi evitada por meios automatizados.

Eles também não aceitam anúncios políticos pagos, o que afetou 3,5 milhões de anúncios rejeitados.

Outros países com milhões de vídeos removidos foram Brasil, Paquistão e Rússia, seguidos pela Indonésia, que teve 3,86 milhões de vídeos removidos.

A Rússia foi o país cujo governo mais solicitou retiradas, com 135 pedidos, seguido pelo Paquistão com 97 e Austrália com 32.

O número caiu um pouco quando comparado ao primeiro semestre de 2020, quando mais de 104,54 milhões de vídeos foram excluídos, com Índia e Estados Unidos liderando o ranking.

Quem quiser, pode ver o relatório completo neste link.