Novo satélite para detectar ameaças de mísseis


Cada vez mais satélites estão sendo colocados em órbita para fins militares. É verdade que a maioria tem algo muito mais nobre como objetivo (pesquisa científica e comunicação, principalmente), mas os satélites que monitoram do espaço detectando ou criando ameaças também são muito comuns.

Agora foi um foguete Atlas 5 da United Launch Alliance que decolou esta semana para lançar um satélite de alerta precoce de mísseis de bilhões de dólares, um satélite que fará uma varredura em nosso planeta em busca do calor gerado pelo lançamento de um foguete que pode representar uma ameaça para os Estados Unidos.

Será o quinto satélite a usar infravermelho no espaço com esse objetivo, o SBIRS, espaçonave que orbita 35 mil km acima do equador, com telescópios infravermelhos de última geração e sensores que monitoram totalmente a superfície terrestre.

Da divisão Overhead Persistent Infrared Missions, indicam que a ameaça da tecnologia de mísseis balísticos está se espalhando por todo o mundo, e que os dados do SBIRS informam os sistemas de defesa dos Estados Unidos para se prepararem para um ataque iminente.

satélite SBIRS GEO-5 é a primeira espaçonave militar construída em torno do chassi LM 2100 modernizado da Lockheed Martin, oferecendo maior resistência, potência, propulsão e eletrônica.

A operação é fácil de entender. Os mísseis, quando voam, criam um rastro de calor, uma assinatura que todos os países querem reduzir para tornar seus mísseis mais difíceis de detectar. Como esses mísseis se tornaram mais furtivos, os sistemas de detecção precisam ser mais sensíveis.