Instagram se despede do IGTV para focar em novas opções para vídeos


O pouquíssimo interesse dos usuários pelo IGTV desde o seu lançamento, em 2018, levou o Instagram a decidir dar adeus para sempre ao recurso.

O IGTV foi criado para competir com a plataforma de vídeo do Google: YouTube, mas com um foco claro na visualização de vídeos em dispositivos móveis. Mas não deu certo.

Agora, Instagram resolveu apostar em oferecer uma nova aba no perfil dos usuários chamada Vídeos, onde os usuários podem descobrir e curtir novos vídeos, tendo uma combinação de feed e vídeos IGTV em um mesmo local.

Já o aplicativo independente IGTV passará a se chamar Instagram TV e servirá, segundo a assessoria de imprensa da plataforma, como um destino para as pessoas “visitá-lo com a intenção de assistir vídeos”.

O Instagram TV também será o aplicativo onde os usuários poderão encontrar transmissões ao vivo de seus criadores favoritos.

Por outro lado, não haverá alterações em Reels, que continuará a ter uma posição privilegiada dentro do Instagram, uma funcionalidade em que o Instagram tem se empenhado muito desde o seu lançamento, no verão do ano passado,para ser o grande rival do TikTok, embora ainda tenha um longo caminho a percorrer, e até mesmo para melhorar os incentivos econômicos para os criadores.

Nesse sentido, o Facebook tem um fundo de um bilhão de dólares até 2022 para pagar os criadores de seus serviços, sendo que parte desse dinheiro, até agora, foi destinada ao pagamento dos criadores de Reels.

Em relação às ferramentas que a comunidade de criadores do Instagram possui, a partir de agora, segundo um representante da empresa:

Também estamos anunciando novos recursos para ajudar a tornar a criação de vídeo mais perfeita. Estamos introduzindo recortes, filtros, pessoas e marcação de local para todos os vídeos.

A era IGTV está chegando ao fim, e com ela muda, quase tudo, relacionado a vídeos no Instagram, exceto Reels, que como dizemos, permanecerá inalterado exceto pelo fato de que os criadores em geral agora têm funções mais criativas à sua disposição.

Agora resta aguardar para ver se estas mudanças dão frutos, especialmente, quando quase metade do conteúdo consumido nos serviços do Facebook é conteúdo em formato de vídeo.

Mais informações:Facebook.