Rede Social de Trump pode ser lançada em fevereiro


Justamente, ao completar o primeiro aniversário do assalto ao Capitólio e de tudo o que se desencadeou desde então, incluindo a exclusão do ex-presidente do governo dos Estados Unidos das principais redes sociais, principalmente do Twitter, onde Donald Trump costumava fazer suas declarações, tivemos a certeza que o ex-presidente dos EUA está desenvolvendo sua própria rede social, através do Trump Media and Technology Group (TMTG), a nova empresa de Trump liderada pelo ex-representante dos EUA, Devin Nunes.

É que na App Store, loja de aplicativos da Apple, deixam saber que a TRUTH Social, rede social de Trump, será oficialmente lançada no dia 21 de fevereiro, embora ainda haja muitas incógnitas como, por exemplo, se o acesso se dará por convite ou não, ou se também estará disponível para outras plataformas, como Android e web.

Mas o mais impressionante são as capturas de tela do aplicativo TRUTH Social para iOS, que nos lembram claramente o Twitter, que, de certa forma é um clone do Twitter, exceto que as publicações passam a se chamar “verdade”, e os retuítes passaram a chamar-se “re-verdade”, entre algumas outras diferenças que poderemos ver na altura do seu lançamento, uma vez que, de momento, não existe informação no site oficial do TRUTH Social.

Vale lembrar que é um aplicativo que se encontra em fase beta, apenas para convidados, e que na web pode adicionar-se à lista de espera para poder receber o convite correspondente para fazer parte desta nova aposta com a qual o ex-presidente do governo dos Estados Unidos quer desbancar o Facebook e Twitter, entre outros.

A este respeito, será Rumble, plataforma de hospedagem de vídeo rival do YouTube, que fornecerá suporte de tecnologia TRUTH Social para compartilhamento de vídeo e streaming ao vivo . O que não se sabe é o que acontecerá finalmente, tendo em vista que a nova rede social foi baseada no código-fonte do Mastodon.

O Mastodon já afirmou, em outubro passado, que a nova rede social viola a licença do software, uma vez que o TRUTH Social alegou ser código proprietário e por não compartilhar o código-fonte, embora a subsequente carta enviada do Mastodon ao diretor jurídico da Truth Social lhe pedisse para compartilhar o código, e  conseguiu fazer com que o TRUTH Social incluísse uma nova seção ” Código aberto” na web.