O sistema do Governo brasileiro para tirar a internet das mãos dos americanos

Selection_002-fs8

Tem sido enorme a repercussão de todas essas revelações da espionagem americana no Brasil, e o site Gizmodo dedicou uma publicação ao assunto, mais especificamente sobre a conduta do governo brasileiro diante desses fatos. Segundo o site, o Brasil não estaria nada feliz com tudo isso, com a invasão em seus emails e telefonemas, e, se referindo ao país como a maior economia da América Latina, estaria querendo, inclusive, se desligar da internet norte-americana completamente.

O site salienta que essa não será uma tarefa nada simples, mas que a presidente Dilma Rousseff parece estar bem otimista sobre isso, ordenando várias medidas que, ainda segundo Gizmodo, parecem potencialmente impossíveis, como, por exemplo, romper definitivamente com a internet dos EUA, entre outras como:

– Empresas fortes da Internet, como o Google e o Facebook construirem servidores dentro das fronteiras do Brasil para ficarem de acordo com às leis de privacidade brasileiros.
– Construir mais pontos de troca da internet, a fim de rotear o tráfego brasileiro em torno do potencial spyware.
– Lançar um serviço de e-mail estatal por meio do serviço postal para atuar como uma alternativa ao Gmail, Yahoo Mail e outros.
– Criar um novo cabo submarino para  para que o Brasil possa se conectar com os países europeus diretamente

Fora isso,Rousseff também pediu um relatório detalhado da extensão da espionagem americana no Brasil.

Enquanto a criação de uma internet independente parece ainda muito longe da realidade, a idéia de forçar autoridades norte-americanas a ser mais transparente é, no mínimo, compreensível.

No mapa acima, podemos ver os cabos submarinos, e notar claramente como o Brasil é um dos centros de telecomunicações mais importantes do mundo, o que complica ainda mais o plano do Brasil de se desconectar da internet dos EUA, um movimento que os legisladores não sabem, ao menos, se é possível.

Por mais extremo que possa parecer, Dilma não está recuando de seu plano de se desligar da internet dos EUA, deixando o Brasil mais independente. Ela deverá falar mais sobre isso no final deste mês, quando discursará na Assembléia Geral das Nações Unidas. Enquanto isso, os críticos alertam que se o governo do Brasil intervir nas operações básicas da internet vai criar um precedente perigoso, e nem é garantia de manter espiões à distância. 

A verdade é que o fato de Dilma cancelar a viagem planejada a Washington na terça-feira, está dando o que falar, mesmo Obama tentando convencê-la a cancelar na segunda-feira à noite, ela foi taxativa, até porque ele também não conseguiu fazer um pedido público de desculpas sobre a espionagem, como ela pediu e todos esperavam.