Linkedin redesenhará seus “Grupos” e lançará uma app só para eles

captura-1

Os administradores dos mais de 2 milhões de grupos existentes no Linkedin estão recebendo notificações de grandes mudanças. Linkedin decidiu mudar tanto sua forma como seu funcionamento, tentando voltar ao que era no início: um lugar para gerar discussões de boa qualidade. Os mais de 380 milhões de usuários do Linkedin se encontram constantemente com spam, com conversas que não tem nada a ver com o tema proposto, com propostas estranhas… muito longe do que deveriam ser os grupos em uma rede de/para profissionais.

Entre as mudanças veremos:

– Os grupos passarão a ser privados, evitando assim que sejam indexados nos buscadores. Os usuários terão que pedir permissão para entrar, e o administrador terá que aceitá-lo. Teremos dois grupos, os padrões (estarão indexados, porém, não será possível participar sem convite) e os ocultos, que não estarão indexados.
– Existirá uma app para iOS só para consulta e administração de grupos. O aplicativo mostrará conteúdo recomendado entre os grupos nos quais participamos, usando um algoritmo para “adivinhar” o que é de nosso interesse.
– Será possível publicar imagens e menções a outros membros de forma simples.
– Serão enviados menos emails, criando um resumo, por dia ou semanal, com o melhor conteúdo dos nossos grupos.
– Será possível, de uma forma mais simples, convidar outros membros dentro dos grupos padrões, permitindo assim, seu crescimento.

Um dos responsáveis pelas mudanças informou a VentureBeat que já será possível ver a nova versão web, e a nova app iOs, durante este mês de outubro.