Um mapa para ver em tempo real detritos espaciais ao redor da terra


Com o lançamento mais recente da espaçonave Space X em conjunto com a NASA, existem muitas curiosidades que giram em torno do tópico satélites, astronautas e equipamentos que saem da Terra para pesquisas aeroespaciais.

Portanto, entre tantas incógnitas que chegam à equipe de redação, hoje falaremos sobre uma ferramenta que nos permite ver todo o lixo espacial que circula por nosso planeta, que nada mais são do que satélites e dispositivos que não são mais úteis para fins específicos.

O site em questão se chama Stuff in Space e foi criado especificamente para mostrar informações em tempo real sobre coisas que orbitam ao redor da Terra e que não são mais importantes.

Sua criação pertence ao projeto de James Yoder, um estudante americano de engenharia elétrica e de computadores da Universidade do Texas em Austin, que, obtendo dados do Space-Track.org, um site público do Departamento de Defesa dos EUA, permite visualizar um mapa 3D com o globo e centenas de pontos de cores diferentes.

Para não serem confundidos com tanto lixo, os satélites são marcados em vermelho, os escombros em cinza e os corpos de foguetes destacados em azul. Ao clicar em um ponto, é possível exibir informações relevantes, como nome, velocidade, altitude e inclinação em que o objeto orbita. Mesmo que sejam satélites ou detritos grandes, suas órbitas são destacadas com linhas azuis.

Além disso, o Escritório do Programa de Detritos Orbitais da NASA sugeriu que cerca de 21.000 fragmentos de mais de 10 centímetros giram em torno da Terra, cerca de 500.000 de 1 a 10 centímetros de diâmetro e mais de 100 milhões de partículas menos de um centímetro, o que não é pouca coisa.

Como podemos ver no mapa em tempo real do Stuff in Space, estamos falando de milhares de artefatos e outros objetos que antes eram essenciais para evitar eventos catastróficos, expandir sinais de TV e internet e até para fins militares, o que não é agora mais que lixo espacial.

De acordo com Jer Chyi (J.-C.) Liou, cientista chefe da NASA para detritos orbitais, são mais de 7.600 toneladas de detritos espaciais, motivo pelo qual a Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço criou o CLEARSPACE-1, a primeira missão a coletar sucata do planeta .