Resultados personalizados no buscador do Google, o que pode mudar no mundo do SEO


Já sabemos que os resultados que aparecem no buscador do Google podem variar conforme o país, e que a ordem dos links varia todos os dias, sendo uma dor de cabeça para os profissionais de SEO, que procuram sempre otimizar as dezenas de variáveis ​​que tornam um site superior ou inferior nesses resultados.

Esse trabalho pode ser ainda mais complicado se a patente do Google sobre resultados personalizados, que se arrasta há anos, for finalmente aplicada no mecanismo de busca: cada usuário verá uma ordem diferente de resultados dependendo de seu perfil.

Isso significa que, nas mesmas condições, um homem de 70 anos veria uma lista de resultados do Google diferente de uma menina de 23 anos.

Esta patente foi solicitada 4 vezes pelo Google e não foi concedida até a quarta versão, agora em novembro de 2020.

A primeira versão da patente (Web Search Personalization) foi apresentada em 30 de setembro de 2003, mas foi rejeitada por apresentar semelhanças com as patentes da Microsoft, Utopy e NEC USA. 

O que diz a patente aprovada do Google

Esta é a descrição de um método para personalizar os resultados de pesquisa do buscador, o método compreende:

– acessar um perfil de usuário para obter informações exclusivas sobre cada um.
– identificar um conjunto de resultados em resposta à consulta de pesquisa, sendo cada resultado associado a uma pontuação genérica independente do perfil do usuário;
– atribuir uma pontuação personalizada a cada um dos resultados, sendo a pontuação personalizada baseada, pelo menos em parte, no perfil do usuário;
– determinar uma pontuação final para cada documento no subconjunto do conjunto de documentos identificado, a pontuação final sendo uma função da pontuação personalizada do documento, a pontuação genérica associada ao documento e uma pontuação de confiança (será obtida a partir de uma quantidade informações adquiridas sobre o usuário, quão próxima a consulta de pesquisa corresponde ao perfil do usuário e qual é a idade do usuário).
– fornecer, de acordo com a pontuação final, resultados personalizados e genéricos.

Pois é, pode parecer meio complicado para quem não trabalha na área, mas isso tudo quer dizer que, ao aplicar a patente (se aplicarem) será impossível determinar o sucesso de um link dentro do mecanismo de busca do Google a partir de variáveis ​​objetivas, uma vez que parte da posição será baseada em informações pessoais de cada usuário.

Quem quiser, pode obter mais informações sobre o assunto emgofishdigital.com