Facebook implementa recursos para ler notícias, independente da recomendação do algoritmo


As redes sociais são uma das opções preferidas dos internautas para o consumo de notícias. Isso tem despertado uma série de observações agudas de quem vê nesses sistemas uma série de vícios que influenciam a construção de imaginários sociais por meio da comunicação.

Uma fração importante dessas críticas recai sobre o Facebook, em um nível histórico, por todas as polêmicas em que esta empresa se envolveu nos últimos anos. Por sua vez, a empresa apresentou uma série de modificações em sua plataforma principal, patenteando seus esforços para corrigir esta situação e resguardar sua reputação.

Por padrão, a tela inicial do Facebook apresenta uma seleção de conteúdos selecionados pelo algoritmo da plataforma, com base no perfil de preferências de cada usuário, que a rede social constrói com base nas informações coletadas da atividade no Facebook, em outros cantos da web e com base em fatores como localização.

Por muitos anos, o Facebook permitiu alternar os mecanismos que regem a seleção de postagens na tela inicial. Além da opção mencionada, também é possível escolher a modalidade “mais recente”, que apresenta as publicações dos perfis, grupos e páginas seguidas em ordem cronológica, sem o uso de filtros algorítmicos.

Ultimamente, a plataforma vinha dando preferência a um mecanismo próprio de seleção de conteúdo, relegando a opção de visualização de publicações recentes a um segmento mais remoto de sua interface.

Agora, com esta nova abordagem da plataforma, será possível alternar facilmente entre três abas: a página inicial clássica, uma seção com as últimas postagens das contas seguidas e uma nova terceira seção: Favoritos.

Já existia a possibilidade de ver as publicações das suas páginas e perfis favoritos na tela inicial do Facebook, graças à função “ver primeiro”, que devia ser ativada individualmente a cada conta selecionada.

Esse propósito permanece ativo dentro da plataforma, mas agora repensado sob uma nova dinâmica. Agora, através de uma seção de favoritos, é possível formar uma lista de até 30 amigos e páginas seguidas de sua preferência, para ver suas publicações mais recentes em ordem cronológica, através de uma seção dedicada na tela inicial.

Junto com essas opções, apresentadas no blog de Nick Clegg, vice-presidente de assuntos globais do Facebook, a implementação de novas facilidades para filtrar quem pode comentar uma postagem e o acréscimo de um link intitulado “Por que estou vendo isso?» junto com certas publicações recomendadas, para tornar transparente a dinâmica por trás dos algoritmos de recomendação.

Embora as funções apresentadas não sejam inteiramente novas, a abordagem com que foram lançadas nos mostra que, às vezes, basta repensar alguns aspectos para revitalizar um serviço.

Resta saber se esta proposta consegue obter a aceitação esperada dos seus utilizadores, levando em conta a má reputação do Facebook no domínio da divulgação de notícias e na cobertura de acontecimentos complexos e delicados.