Session, uma nova plataforma de mensagens baseada no anonimato e na privacidade


Se quisermos usar mensagens no estilo WhatsApp, mas com a garantia de que ninguém está espionando, podemos recorrer à Signal, a número um para enviar mensagens anônimas, mas outra opção semelhante nasceu com uma operação bem diferente, totalmente descentralizada e privada, construída com tecnologia semelhante ao Blockchain.

Embora o WhatsApp e o Telegram tenham criptografia ponta a ponta, ambos não podem garantir o anonimato total em uma conversa, mas agora existe um serviço que oferece exatamente isso, chamado Session.

A plataforma é da Austrália, de uma ONG chamada Loki Foundation, que queria que o anonimato fosse a característica principal.

Os bate-papos na Session são protegidos por criptografia normal de ponta a ponta, o que significa que apenas o remetente e o destinatário de uma mensagem podem ler o conteúdo da conversa. Mas Session vai além e também protege a identidade do usuário.

Session faz isso roteando os bate-papos por meio de uma rede de milhares de nós de servidor que passam mensagens de um lado para outro na rede e fornecem serviços adicionais. Isso garante que os servidores na rede não saibam o endereço IP do remetente ou o endereço IP do destinatário.

Claro, também não existe um servidor centralizado que possa ser hackeado.

Para criar uma conta, não é preciso um número de telefone ou e-mail. Além disso, o serviço não coleta metadados, como informações do dispositivo ou marcadores de geolocalização.

Em termos de recursos, ele oferece mensagens de grupo, compartilhamento de arquivos e fragmentos de voz. O serviço atualmente tem 200.000 usuários ativos por mês e já foi baixado mais de 500.000 vezes.

Session tem clientes para macOS, Windows, Linux, Android e iOS.